Existem muitos mitos e dúvidas sobre o agachamento, muitos dizem que realizar esse exercício pode prejudicar a articulação do joelho, dizem que nele não se pode realizar uma flexão maior que 90º, e ainda dizem que todas essas afirmações são para manter a segurança e não se machucar realizando um agachamento. Porém todos estes fatos são baseados no empírico, muitos destes mitos surgem a partir de pessoas que não possuem uma formação na área da Educação Física, e até de profissionais formados, porém sem conhecimento científico.

Muito se diz sobre a forma como se agachar, arnold-squatse existem diversas formas de se realizar este exercício, podendo ser um agachamento em diversos ângulos, sendo meio agachamento ou agachamento completo; com os pés rodados para fora ou retilíneos; com as pernas mais afastadas ou mais juntas. A verdade é que cada corpo é um corpo, e se adapta de forma diferente ao exercício. O corpo pode realizar os mais diversos movimentos, se preparado para isso, no caso do agachamento não é diferente. Não existem riscos que o agachamento possa trazer para o seu corpo, mas existe risco na sobrecarga que você realiza. E porquê?

Existem diversos estudos demonstrando que o agachamento é o melhor exercício para fortalecimento dos membros inferiores, e que causa menor tensão patelar que, por exemplo, a cadeira extensora, ou máquina extensora. Outro exemplo é no aparelho Smith, que ao realizar este exercício, o praticante, para não ultrapassar o joelho da ponta do pé, retifica sua lombar e projeta os pés para frente, causando uma pressão maior na patela, podendo gerar uma lesão não só no joelho, mas também na região lombar. Já no agachamento livre e completo (profundo), estudos demonstram que a pressão na patela é menor devido que os músculos posteriores da coxa reduzem esta tensão, devido sua ação estabilizadora no movimento. E também existe a necessidade dos joelhos irem levemente a frente da ponta do pé para que não haja compensação e sobrecarga na lombar, pois se o praticante não leva os joelhos à frente da ponta do pé, ele joga o quadril muito para trás ocasionando a sobrecarga na lombar. Como pode ser observado nas imagens abaixo, na figura A o tronco não recebe a mesma sobrecarga na região lombar como na figura B.squat-past-toes1

A realidade é que o exercício não causa lesão, o que causa a lesão é a sobrecarga exagerada, a técnica mal executada, limitações individuais e a falta de conhecimento sobre o exercício. Uma pessoa ativa que realiza vários agachamentos durante o seu dia-a-dia para pegar algo no chão não rompe ligamentos ou tendões do joelho, já uma pessoa que realiza um agachamento com técnica inapropriada e com carga acima do que ela suporta, provavelmente terá alguma complicação pelo excesso indevido. O primeiro a fazer é procurar orientação de um profissional de educação física, pois para agachar não basta só agachar, mas toda pessoa tem sua individualidade e para realizar um agachamento perfeito é necessário flexibilidade, força suficiente nos músculos estabilizadores da coluna e concentração, tudo isso levando a uma boa técnica, o que fará o resultado aparecer mais rápido e melhor.
É importante relembrar que existem diversos tipos de agachamentos, como foi citado anteriormente, e para todos existe uma técnica específica, lembrando também que o que traz a lesão não é a forma que se realiza, se é até o chão ou só meio agachamento, mas sim a sobrecarga indevida. Atletas que realizam saltos, como jogadores de vôlei e de basquete incluem o meio agachamento como um exercício específico, porque não existe necessidade de agachar até o chão para realizar um salto. Para isso eles são preparados para realizar movimentos com cargas elevadas e sobre a tensão daquele ângulo, mas da mesma forma realizam agachamentos profundos para desenvolver a força e a resistência na articulação. Assim também como levantadores de peso, que descem completamente num agachamento com pesos elevadíssimos, porém também são eles preparados para realizar este tipo de agachamento. Tudo depende de preparação.
bombPara quem procura desempenho no esporte, hipertrofia, emagrecimento ou mesmo saúde, o agachamento pode se tornar seu maior aliado. O agachamento se encaixa na lista de exercícios que mais desenvolvem o corpo todo, porque trabalha um grande número de músculos ao mesmo tempo, como por exemplo a força imposta no abdome para a estabilização do movimento. Existem vários estudos comprovando que os agachamentos aumentam a liberação do hormônio do crescimento (GH) e da testosterona, mais que qualquer outro exercício, ou seja, aumenta o nível destes hormônios no seu corpo de forma natural, promovendo maior desenvolvimento de hipertrofia e força. Mesmo que exista uma impossibilidade de treinar membros superiores devido a alguma lesão, realizar o agachamento com séries mais intensas, reduz o possível catabolismo muscular dos membros superiores, devido a alta intensidade do exercício e a liberação dos hormônios anabolizantes naturais. Além disso, para se realizar o agachamento com alta intensidade é necessário muita concentração e foco no exercício, levando o praticante a construir um caráter mais determinado na hora de realizar seus posteriores treinamentos.

boneco-agachamento-em-resina

Portanto deve-se compreender todos os fatos científicos em cima deste exercício que julgam tão polêmico, para que não haja confusões a cerca do que é certo e errado. Se possui dúvidas sobre como realizar este exercício procure um profissional de Educação Física devidamente certificado, porém procure se informar também por outros meios, pesquisas, publicações científicas e até mesmo uma segunda opinião de outro profissional. Porque se você realmente deseja alcançar os seus objetivos na sua vida esportiva, seja qual for este objetivo, este exercício deve ser considerado o número um da lista para o seu ganho de força. Esqueça um pouco as máquinas da academia, pegue uma barra e vá agachar. Quem não agacha, não treina! Mas não se esqueça de procurar um professor para te orientar e montar o programa de treinamento mais adequado para você. Só para conhecimento geral, atletas de fisiculturismo e de levantamento de peso sempre procuram executar todo exercício com todo o cuidado e critérios técnicos, então lembre-se, não é o exercício o causador de lesões, e sim a má orientação e a desatenção na execução da técnica.

Texto feito pelo professor Gustavo Henrique Api (Professor de musculação, preparador físico de atletas no clube Santa Mônica e Personal trainer)

Curta nossa página no Facebook: http://www.facebook.com/exercitese 

Especialista em Fisiologia do Exercício pela PUC-PR. Professor de musculação e personal trainer. Avaliador físico há 6 anos. Praticante de Corridas de Rua e Triathlon.

Deixe seu Comentário

Powered by Facebook Comments

Deixe seu comentario