Fico chateada ao ler notícia sobre atletas que desistem de provas (maratonas, ultramaratonas, provas longas de ciclismo, ironman, etc).

“Quando você tem um objetivo, você deve ir até o fim!”

Mas antes de ir até o fim, (parece meio óbvio, mas) vamos começar do começo…

Você fez uma avaliação postural? Fez testes de simetria musculares? Fez avaliação da funcionalidade dos seus músculos?

Há quanto tempo você está treinando para provas menores como as de 5km, 10km e 21km?

Na avaliação postural e/ou ativações musculares foi verificado se todos os seus músculos estava fortes o suficiente para aguentar os 42km, 100km, 217km ou 431km??

Conheço profissionais ótimos que podem lhe ajudar nessa etapa!

 

Ah, a prova é em altitude? Treinou em ambiente com baixa pressão de oxigênio? Fez a aclimatação adequada para competir?

Ah, a prova é na neve ou no deserto? Fez a aclimatação adequada? Ah, tem que puxar um trenó durante a prova? Seus músculos estabilizadores são fortes o suficiente para aguentar todo o percurso?

Ok, no Brasil não tem neve, não precisamos ir longe então, para as famosas provas K21, K42…

A competição é na praia e você só treina na esteira? Você vai correr em trilhas, ou pior, em dunas e nunca andou em dunas?

Você fez alguma avaliação bioquímica para verificar se seu sistema imunológico consegue suportar esse estresse?

Você fez uma ergoespirometria? Ótimo, você não tem nenhum problema cardiorrespiratório, mas será que seu coração/pulmão está trabalhando na intensidade adequada para ele (s)?

E sua dieta? Está sendo acompanhada por um (a) nutricionista? Está ingerindo a quantidade adequada de nutrientes para o seu organismo? Ou você está comendo o que aparece na frente ou seguindo a dieta da revista que você comprou na esquina de casa?

Treinamento desportivo é muito mais do que calçar um bom par de tênis e sair correndo por aí… ficar dando tiros de 1000 metros ou subindo montanhas!

Você sabe o tipo da sua pisada? Não quero saber se ela é pronada, neutra ou supinada. Mas também se seus pés são cavos, planos, se seu calcâneo é varo ou valgo. Como alguém pode te prescrever um treinamento se não sabe se você distribui mais o peso na perna direita ou esquerda? Ou melhor, como alguém pode participar de provas tão agressivas ao corpo sem antes corrigir ou pelo menos melhorar a funcionalidade dos músculos que estão fracos / em desequilíbrio no seu corpo?

Se você deseja realmente ser um esportista em determinada modalidade você deve ter acompanhamento de vários profissionais qualificados que te orientem para que você consiga realizar o seu objetivo. E, principalmente, você deve estar muito determinado a realizar exatamente o que eles determinaram para você. Se teu treino da semana é correr 5km a 70% da tua frequência cardíaca ou correr 30 minutos num ritmo leve, é esse o seu treino e acabou! Nada de fazer mais meia hora de tiros ou qualquer outro treinamento inventado por você ou porque seu colega está fazendo também. Esse período de recuperação que você está matando poderá fazer muita falta na hora da sua competição!

Por favor, que fique claro que não estou escrevendo sobre esse assunto para criticar o treinamento dos atletas que já competem há vários anos, mas para principalmente para  incentivar os “amadores” que estão começando a treinar para que priorizem o treinamento com qualidade. Temos em Curitiba o exemplo da Atleta Letícia Saltori, (Foto: Campeã do Deserto do Atacama) tem mostrado uma excelente performance com o acompanhamento do Professor Marco Piazza.

Cuide da sua saúde!
Pense nisso!

 Curta nossa página no Facebook: http://www.facebook.com/exercitese 

Mestre em Fisiologia da Performance (UFPR). Especialista em Atividade Física e Saúde (UFPR). Personal Trainer em academias e condomínios. Personal Coach do Lifex Institute Curitiba. Cursos de certificação internacional: Resistance Training Specialist. Professora de Cursos de Pós-Graduação. Diretora técnica do Exercite-se.com.

Deixe seu Comentário

Powered by Facebook Comments

Deixe seu comentario