Por: Luis Fernando Coimbra: formado em Educação Física (UNIVAP), pós graduado em fisiologia do exercício e treinamento desportivo (UNIFMU). É especialista em treinamento para portadores de Fibromialgia e Diabéticos tipo I e II. Atualmente é gerente do departamento de musculação da unidade Cia Athletica São José dos Campos.

O termo Funcional, segundo o Dicionário Houaiss é: “Algo que foi concebido e executado para ter maior eficácia nas funções que lhe são próprias; que possui eficácia, prático, utilitário”.

“Treinamento Funcional visa melhorar a capacidade funcional, ou seja, a habilidade de realizar as atividades normais da vida diária com eficiência, autonomia e independência” (CAMPOS; NETO, 2004).

Geralmente, toda novidade desperta curiosidade entre alunos e professores, nenhuma atividade física é completa por si só, portanto, sempre requer a sua associação com outras atividades que a completem (ACSM, 2007). O treinamento funcional vem para somar às demais modalidades presentes nas academias e, assim, preencher uma lacuna e possibilitar um desenvolvimento corporal mais homogêneo, ou seja, mais completo.

treinamento funcional

O treinamento funcional é caracterizado pela semelhança do trabalho às situações cotidianas e baseia-se no princípio da especificidade (direcionado a alguma modalidade). As situações do cotidiano, por muitas vezes, requerem o emprego de movimentos e gestos motores que exigem o trabalho de diversos grupos musculares ao mesmo tempo. Sendo assim, a proposta dos exercícios funcionais é justamente promover ações musculares em conjunto e simultâneas, proporcionando um trabalho corporal mais globalizado e completo.

Por isso, o treinamento funcional deve ser classificado em três grandes bases:

1- Transferência de exercícios convencionais para funcionais, ou seja, fazer uma troca gradativa de exercícios em máquinas, para exercícios com o próprio corpo.

2- Treinamento do Core, ou seja, concentrar o trabalho do centro do corpo para as extremidades, facilitando o aprendizado e a melhoria da consciência corporal.

3- Propriocepção ou bases instáveis, ou seja, realizar trabalhos seguros em superfícies instáveis para melhorar a reação do nosso corpo com relação a uma adversidade.

A maioria dos estudos científicos associa o emprego da instabilidade com boas adaptações coordenativas, melhoria da propriocepção e a manutenção do equilíbrio em indivíduos normais, idosos e atletas (Thompson, Cobb e Blackwell, 2007; Rutherford e Jones, 1986).

Os exercícios funcionais devem ser aplicados gradativamente dentro de uma série de musculação, como citado acima, e o primeiro ponto forte a ser trabalhado é o centro do corpo, fazendo você ter um melhor resultado dentro do seu trabalho planejado.

Em resumo o treinamento funcional consiste na reprodução de ações realizadas nos esportes ou no cotidiano e hoje muitos professores tem se especializado no assunto e nossos alunos tem, como principal resultado, um grande gasto energético e uma melhora do condicionamento físico geral trazendo maiores benefícios para tudo que realiza no dia a dia.

Deixe seu Comentário

Powered by Facebook Comments

One Response


  1. cristiano carlos on 20 nov 2013

    gostaria muito de saber, mais sobre o trabalho funcional…


Deixe seu comentario