Criada em 1996, cujo objetivo é dar uma volta completa à Ilha de Florianópolis em equipe. Um verdadeiro abraço festivo na ilha. Os trechos variam de três a onze km, sendo uma corrida inclusiva, ou seja, permite que pessoas com diferentes níveis de condicionamento físico possam participar.

Os graus de dificuldade do percurso variam devido aos tipos de terreno, como trilhas na mata, areia fofa de praia e duna, chão batido, asfalto, calçamento, aclives e declives. Não há montanha alguma na cidade de Florianópolis, apenas pequenas elevações situadas ao Sul. Quase no final da prova, a equipe chega ao Morro do Sertão do Peri, na Seção 19 (Sul da ilha). Este é o percurso mais temido no Revezamento Volta à Ilha, pois se apresenta em terreno de chão batido, com uma subida íngreme nos primeiros 1.000 metros e atingindo o ápice a 250 metros de altitude. Depois vem a descida, bastante árdua, onde os “freios musculares” e o equilíbrio corporal são muito exigidos.

Participar do Revezamento Volta à Ilha é sempre pensar coletivamente e com antecedência. A prova requer, do grupo, preparação e organização alguns meses antes do evento. É importante que a equipe leia com atenção o regulamento da prova e esteja atenta aos detalhes. O percurso tem paisagens maravilhosas e a comunidade florianopolitana é acolhedora e educada. A corrida recebeu o prêmio, em 2007,2008 e 2009, pela Revista O2, como a mais admirada do Brasil.

Nesta edição da Volta à ilha vai acontecer no dia 14 de abril e reunirá em torno de 3.500 atletas de todo o país e da América do Sul. Equipes do Paraná estarão presente junto com a equipe do exercite-se.com trazendo relatos dessa desafiadora e encantadora corrida.

Professor especialista em Treinamento individual e Qualidade de Vida pela PUC-PR, Personal trainer e corredor nas horas vagas. Professor em Musculação e avaliador físico em Curitiba.

Deixe seu Comentário

Powered by Facebook Comments

Deixe seu comentario