A prática de exercícios físicos durante o período de gestacional traz muitos benefícios para a mulher, por isso é de extrema importância que a grávida tenha um treinamento muito bem planejado respeitando os seus limites para que ela e o feto estejam em segurança, por isso é necessário compreender as fases e as mudanças fisiológicas, morfológicas e psicológicas.

Essas fases são dividias em três trimestres:

  • O primeiro é o período mais frágil, pois ocorrem várias mudanças principalmente hormonais que antes predominavam o estrógeno e a progesterona e após a fecundação a predominância é da progesterona e da gonadotrofina coriônica humana (hormônio exclusivamente da gravidez) essa combinação de hormônios faz com que a mulher tenha sintomas de retenção de líquida, inchaço, dores e desconfortos nos seios, pernas, vômitos, enjôos entre outros sintomas.

  • O segundo trimestre é considerado como a melhor fase da gravidez, pois os enjôos, os vômitos já diminuíram do primeiro trimestre, nesses segundo trimestre as mudanças no corpo já começam a ser mais visíveis e é a fase onde as energias estão mais elevadas, nesta fase o inchaço nas pernas são mais freqüentes por conta do aumento da barriga a circulação das pernas fica mais difícil.

  • O terceiro trimestre é onde o desconforto se torna maior a mulher se sente mais pesada, os hormônios começam a se projetar para afrouxar as articulações do quadril podendo causar dores nas costas. O peso adicional do bebê pode modificar a noção de equilíbrio, as penas podem ficar inchadas e varizes podem se desenvolver, um cuidado muito importante é que se deve evitar deitar-se em decúbito dorsal por um período prolongado, pois o peso do feto poderá fazer com que a veia cava seja pressionada diminuindo a pressão arterial, faltando assim oxigênio para a mãe e para o feto podendo ocasionar desmaios ou vômitos.

Os exercícios para gestante deveriam incluir a combinação de atividades aeróbias envolvendo grandes grupamentos musculares e atividades que desenvolvessem força de determinados músculos. Normalmente, acredita-se que uma musculatura abdominal forte possa ajudar no processo de expulsão da criança. A força muscular dos membros superiores é também muito importante para carregar o bebê, que aumenta, cada vez mais, o seu peso (BARROS, 1999).

Nas prescrições iniciais de exercício aeróbio deveriam ser incluídas, no mínimo, três sessões semanais, com dias intercalados de exercício, cada uma com duração de 30 a 45 minutos. A intensidade de exercícios empregadas deve manter uma média estável da freqüência cardíaca numa faixa de 130 a 150 batimentos por minuto. A freqüência mínima é de três vezes na semana e programados em diferentes atividades, duração e intensidade. Atividades onde existam contato físico e chances de queda são desaconselhados (BARROS, 1999).

Os exercícios na gravidez poderão ajudar tanto fisicamente quanto mentalmente, com isso a mãe irá se sentir mais relaxada e descarregara suas energias nos exercícios, além disso, os exercícios físicos irão fazer com que a mulher mantenha uma boa postura e ajuste seu equilíbrio por conta do peso da barriga muitas mães acabam sentindo dores nas costas com a prática do exercício físico irá corrigir esse fator.

Além disso, deve se conciliar uma boa alimentação, pois se lembre agora não é somente você que deve requerer cuidados seu filho que está chegando também precisa de uma alimentação balanceada.

Acadêmica de Educação Física Bacharelado em Unibrasil. Participa de competições de Corrida de Rua e Powerlifting. Campeã Paranaense de Powerlifting - Categoria Junior 2011.

Deixe seu Comentário

Powered by Facebook Comments

Deixe seu comentario