No ano passado quando vi a largada da maratona achei muito legal percorrer 42, 195m e decidi que nesse ano iria para a maratona, confesso que não fiz um treinamento que seria o ideal fiz quatro treinos longos sendo um deles com a maior distância de 28km, participei de uma meia-maratona em outubro e subida da graciosa. Em relação ao dia da maratona estava muito ansiosa, pois nos treinos o máximo que eu tinha percorrido era os 28km e ainda faltavam 14km para completar a maratona, estava com um pouco de medo também de não conseguir completar por não aguentar a distância ou sentir dores  que não pudesse continuar a prova.

Na largada estava muito ansiosa, porém me sentindo muito bem e motivada, nos primeiros km estava tudo tranquilo fui bem até o km 28, sem andar, sem dores, após isso comecei a sentir dor no quadril foi quando andei e tomei um remédio que meu primo que estava me acompanhando de bike me deu a partir desse ponto o sol começou a ficar mais forte também, comecei a sentir o cansaço no km 30 próximo ao viaduto da marechal aí comecei a intervalar caminhada com a corrida, no paiol já estava com muita dor nos pés foi a partir do km 36 onde eu mais sofri pois a dor estava insuportável mais a motivação de completar a prova e saber que já tinha chego até ali era maior andei praticamente tudo do km 36 aos 40 no passeio público já tinha pessoas batendo palmas e motivando a chegar, isso é muito gratificante e emocionante pois só faltavam 2km quando passei pela placa de 41km e entrei na Av. Cândido de Abreu e comecei a avistar a chegada não tem dor, cansaço ou qualquer outro motivo que te segure para querer chegar mais rápido, mesmo com as dores fui correndo devagar e cada vez mais perto da chegada nos últimos metros você tira forçar de não sei onde para poder apertar um pouco mais o passo e chegar, ao cruzar a linha de chegada é inexplicável a sensação e a emoção de ter completado os 42,195m.

Após a retirada do chip e ter pegado a medalha quando me sentei na grama e tirei o tênis meus pés estavam “assados”, com bolhas, além disso, estava com dor nos joelhos e bem cansada mais muito feliz em ter completado a prova. Quando cheguei em casa tomei um banho, almocei e dormi a tarde toda pois o cansaço era grande, quando acordei já estava bem melhor, as dores nos pés continuaram na segunda por conta das bolhas, porém a dor no joelho já tinha passado o que ainda sentia era o cansaço.

Muitos acham loucura percorrer 42,195m eu participei pela primeira vez e adorei, uma experiência incrível, ano que vem com certeza participarei novamente da maratona e estarei mais preparada. Recomendo a todos que tem vontade de participar é maravilhoso e vale muito à pena!

Bruna Camargo – Curitiba-PR

Twitter: @brunarcamargo

Acadêmica de Educação Física Bacharelado em Unibrasil. Participa de competições de Corrida de Rua e Powerlifting. Campeã Paranaense de Powerlifting - Categoria Junior 2011.

Deixe seu Comentário

Powered by Facebook Comments

One Response


  1. Glacymar on 22 mar 2011

    Seu comentario… Bruna Gigante, parabéns por mais esta conquista. Ao terminar uma prova como a maratona, Vc mostra que td é possível se acreditar e propor. muitos bjs


Deixe seu comentario